quinta-feira, 6 de julho de 2017

A EXCELSA CELSA

Foto de Daniel Cordeiro Costa.


A EXCELSA CELSA

Foi já em 1968 que Miguel Foz entrou nos quadros intermédios da grande Fábrica Gráfica, Bertrand & Irmãos, então detida pelo Grupo brasileiro A.G.G.S.
Ali tomou conhecimentos avançados, para a época, de entusiasmar quem, tendo partido havia quatro anos, de jornaleiro de jorna, da agricultura.
Ali estava Miguel Foz, no gabinete que partilhava, com o veterano António Alcaraz, a ser o representante interno para as livrarias, nas obras editorias de livros.
Logo aí, começou por fixar muitos vocábulos usados no Brasil, com vários colegas, normalmente de serviços administrativos, com realce para o Senhor Mariano, um homem muito tranquilo, que do Rio de Janeiro, foi destinado a implementar uma nova filosofia na produção gráfica, da Bertrand & Irmãos.
Deu-se singular avanço cultural, já que o meio gráfico e literário, era na altura, o de mais – valia nesse aspecto. Isso pode ver-se no livro LISBOA CAFÉ, no espaço dedicado à Gráfica Bertrand & Irmãos, que também foca a dignidade atingida, assim como as interessantes amizades criadas no meio literário.
Note-se apenas, a interacção com um sobrinho, do genial poeta da língua, Fernando Pessoa.
Fernando Pessoa, que sendo conhecido como verdadeiro príncipe, dos poetas, a então Agência de Publicidade CINEVOZ, no Natal de 1969, decidiu fazer uma recolha dos artigos que publicou na revista, COMÉRCIO E CONTABILIDADE, que seu cunhado, Francisco Caetano Dias, fundou e dirigiu.
A CINEVOZ, titulou o livro, de apenas quinhentos exemplares, por TEXTOS PARA DIRIGENTES DE EMPRESAS, para ser o seu cartão de Boas Festas de 1969.
Estava, pois, encetado o rumo lusófono - brasileiro, de Miguel Foz, como se irá ver.

Daniel Costa




4 comentários:

  1. Interessante, ainda que diferente da série anterior.
    Que me lembre, nunca tinha ouvido falar de Miguel Foz.
    Bom fim de semana.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Miguel Foz, um desconhecido para mim. Vou gostar de conhecer aqui.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Aos meus amigos, sobretudo Graça Pires, Miguel Foz foi o meu avô materna, falecido aos 26 anos, deixando já 4 filhos e comprado alguns bocados de terra. Já tinha adoptado e registado, o nome como pseudónimo. por admiração, quando em conversa com o meu tio mais velho, o único que o conheceu, soube que entre 36 descendentes de então, eu era o único parecido com ele em tudo. Até o único de baixa estatura como ele. De facto na família, sou o único baixote. Até as mulheres (tenho 5 irmãs) são mais altas que eu.
    Em BRASIL - O PAIS DO FUTURO, Miguel Foz é personagem.
    Daniel Costa

    ResponderEliminar
  4. Gostei do seu relato sobre o seu avô materno Daniel!
    Bjs,obrigada pela visita e uma ótima semana.
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar